Criança de 2 anos morre soterrada em MG

Uma criança de dois anos morreu na madrugada desta quinta-feira quando um barranco deslizou e atingiu a casa onde morava, no município de Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata mineira.Com isso, subiu para 41 o número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingem Minas Gerais desde o início de janeiro (40 desde a última quinta-feira), de acordo com balanço divulgado no final da tarde pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).Segundo o Cedec, o número de feridos em Minas chega a 76. Há ainda 1.368 desabrigados e 8.331 desalojados em todo o Estado. Mais de 2,4 mil casas já foram danificadas ou destruídas este ano pelas chuvas, que também já provocaram a quedade barreiras em várias estradas e a destruição de 29 pontes.Visconde do Rio Branco, que decretou estado de emergência por causa das chuvas no último dia 3, foi atingida na madrugada desta segunda-feira por uma tromba d?água. Cinco pessoas ? um casal de adultos e três filhos ? estavam na casa, localizada no bairro Alto Boa Vista, no momento do deslizamento.De acordo com a Prefeitura da cidade, os pais e outras duas crianças, de um e quatro anos, conseguiram se salvar, mas o garoto Herlen de Paula Jesus Camilo morreu soterrado.Segundo o prefeito Iran da Silva Curi, 60 pessoas ficaram desabrigadas no município. Também na Zona da Mata, no município de Piraúba, a 90 quilômetros de Juiz de Fora, o ribeirão São Domingos transbordou, e um carro, com quatro pessoas que tentavam atravessar a ponte durante a madrugada, foi arrastado pela enxurrada. Oitomergulhadores do Corpo de Bombeiros iniciaram pela manhã as buscas dosdesaparecidos.A Defesa Civil informou que já recolheu cerca de 50 toneladas em doações. Os donativos - roupas, alimentos, brinquedos e eletrodomésticos ? recolhidos estão sendo enviados para o galpão central do Cedec, em Belo Horizonte, ondevoluntários e agentes trabalham na separação e no transporte do material arrecadado,que está sendo enviado para as áreas mais atingidas da região metropolitana e 15cidades do interior do Estado.O governo de Minas, em conjunto com 18 entidades de classe, empresas e veículos de comunicação do Estado, lançou nesta segunda-feira a campanha "Minas Solidária", quetem como objetivo arrecadar recursos, alimentos, roupas e colchões para serem distribuídos entre as famílias afetadas pelas chuvas dos últimos dias.Foi disponibilizado ainda um número telefônico gratuito (0800 ? 282-1999), para as doações em dinheiro. Quem quiser poderá doar R$ 5, R$ 15 ou R$ 50.O lavador de carros Antônio Laurêncio dos Santos, de 37 anos, disse nesta segunda-feira que poderá entrar com um pedido de indenização na Justiça contra a Prefeitura de Belo Horizonte pela morte de seus seis filhos e três sobrinhos, que foram soterrados na madrugada da última quinta-feira, quando um barranco deslizou sobre obarraco em que dormiam, no aglomerado Morro das Pedras, região oeste da capitalmineira.Técnicos da Regional Oeste estiveram no local um dia antes da tragédia e não constataram risco iminente. Antônio Laurêncio voltou a acusar um engenheiro ? cujo nome vem sendo mantido em sigilo pela administração municipal ? de negligência. ?Ele não vistoriou a casa. Só vistoriou por dentro da casa. A estrutura por fora ele não vistoriou nada?, disseo lavador de carros.?Ele disse que a nossa casa estava melhor do que a dele e que a minha mulher estava querendo era ganhar uma casa nova?, acusou. Segundo Antônio Laurêncio, a vistoria durou cinco minutos e se resumiu a apenas um dos cômodos da residência. ?Ficar impune assim não pode ficar não. Tem de ter justiça, principalmente para esse engenheiro. Ele matou nove pessoas. Ele é umcriminoso.?Uma comissão foi criada na semana passada pelo prefeito Fernando Pimentel (PT) para avaliar o procedimento dos técnicos e o laudo feito pelo engenheiro, que trabalha há dois anos na Prefeitura e foi afastado temporariamente de suas funções.O Ministério Público Estadual (MPE) de Minas determinou a instauração de procedimento administrativo para apurar responsabilidades dos agentes públicos envolvidos nas execuções das políticas de prevenção de acidentes em áreas de riscos e habitação da capital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.