Criança e mulher são levadas pela correnteza e somem em Campinas

Uma criança foi arrastada pela correnteza durante as chuvas do final da tarde desta segunda-feira, no Jardim Tamoios, em Campinas, 95 quilômetros a noroeste de São Paulo, e permanecia desaparecida até o início da noite, informou o Corpo de Bombeiros.Outra mulher estava desaparecida no bairro Dic 6, depois de ter sido arrastada pela água. Até as 19 horas ainda não havia identificação das vítimas.A Defesa Civil de Campinas atendeu pelo menos 90 ocorrências até o início da noite. O Aeroporto Internacional de Viracopos interrompeu o embarque e desembarque de passageiros do início da tarde desta segunda até as 5 horas desta terça.Segundo informações do Centro de Ensino e Pesquisas Agrícolas (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), choveu 120 milímetros em uma hora no final da tarde em Campinas.O Instituto Agronômico de Campinas (IAC) informou que a quantidade é equivalente à metade da média de todo o mês de fevereiro. Em Indaiatuba choveu 155 milímetros, das 9 às 17h30.A cidade decretou situação de emergência. De acordo com a Defesa Civil, em Campinas houve 160 casas alagadas e duas desabaram. Pelo menos 150 pessoas estavam desabrigadas no início da noite. Vários carros foram arrastados na Avenida Princesa D?Oeste, no Jardim Proença, e os ocupantes precisaram da ajuda dos bombeiros e de policiais militares para sair dos veículos.Um bombeiro, identificado como sargento Assis, teve uma parada cardíaca enquanto ajudava pessoas ilhadas em seus carros na Princesa D?Oeste. Ele foi levado para o Hospital das Clínicas da Unicamp e estava internado em estado grave no início da noite desta segunda.O coordenador da Defesa Civil de Campinas, Wagner Martins, explicou que o antendimento aos moradores deveria seguir noite adentro. Em Indaiatuba, 18 famílias ficaram desabrigadas, e os bombeiros registraram pelo menos 40 ocorrências.Na cidade de Valinhos houve alagamento nas Avenidas Independência, de acesso à cidade pela Rodovia Anhangüera, e Invernada. Várias casas e lojas foram alagadas, o trânsito foi interrompido nas duas vias e teve que ser desviado para ruas próximas.O diretor do Cepagri, Hilton Silveira, explicou que a alta precipitação de água ocorreu devido ao encontro de duas frentes frias. O Aeroporto de Viracopos deixou de operar entre as 14h26 e as 14h51, quando um vôo de passageiros foi desviado para o Rio de Janeiro.O terminal de embarque e desembarque ficou alagado, com 10 centímetros de água. Às 14h51, os pousos e decolagens de aviões de carga foram autorizados, mas os de passageiros permaneceram interrompidos.Segundo a assessoria de imprensa do aeroporto, 10 vôos de passageiros deixaram de decolar e 12 de pousar no aeroporto nesta segunda. As companhias negociaram com os passageiros o adiamento do embarque ou os transferiram, de ônibus, para os aeroportos de São Paulo, conforme a assessoria.Os pousos também foram desviados para São Paulo, e os passageiros, trazidos de ônibus a Campinas, informou a assessoria. A estimativa é de que o terminal de passageiros volte a operar a partir das 5 horas desta terça. A água invadiu lojas, lanchonetes e os balcões das companhias. A assessoria não tinha um levantamento dos prejuízos até a noite desta segunda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.