Criança seqüestrada é libertada em Barueri

Um menino de 6 anos, filho de um microempresário do ramo de computadores, seqüestrado na manhã de sábado, em Barueri, na Grande São Paulo, foi libertado pela quadrilha, sem o pagamento do resgate.A prisão de dois integrantes do grupo provocou a liberação do menino, deixado na porta do Hospital Amador Aguiar, em Osasco. Descalço, de short e camiseta, ele foi recolhido por um funcionário do hospital, que avisou a Divisão Anti-Seqüestro (Deas).O delegado Antonio de Olim foi para Osasco e levou o menino para casa. O seqüestro ocorreu quando o garoto esperava pelo pai na porta de casa, para passar o dia com ele. Cinco homens e uma mulher, que estavam em dois carros, levaram-no.No primeiro telefonema, exigiram US$ 1 milhão. Hoje, estavam pedindo R$ 300 mil para libertar a criança, quando os policiais prenderam dois participantes da quadrilha perto de um telefone público.Temendo que o restante do grupo fosse encontrado e preso o chefe da quadrilha, já identificado pela polícia, decidiu liberar a criança. O cativeiro ficava na Favela do Jardim Piratininga, em Osasco. "A prisão dos demais é questão de tempo. Sabemos quem são e estamos atrás deles", explicou Olim.O delegado informou ainda que o menino estava bem e disse que a "tia" dera leite e bolachas para ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.