Crianças de 0 a 11 anos, as que mais sofrem abusos sexuais

Uma pesquisa divulgada hoje pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos revelou que as vítimas foram molestadas durante muito tempo, em pelo menos metade dos casos levantados sobre abuso sexual de crianças e adolescentes em cinco cidades brasileiras. O trabalho, que resultou no livro Os (des) caminhos da denúncia, mostrou ainda que grande parte dos menores - 69% das denúncias investigadas - estavam na faixa etária de 0 a 11 anos, o que contraria diversos estudos epidemiológicos internacionais que apontam adolescentes como alvo preferencial dos abusadores. A pesquisa foi feita nas cidades de Belém, Recife, Vitória, Goiânia e Porto Alegre, envolvendo 55 notificações de abuso sexual.As meninas foram as maiores vítimas, com 53 casos, sendo que os outros dois eram meninos. Os chamados abusos incestuosos representaram 60% das notificações, sendo pais e padrastos os principais acusados. A pesquisa também mostrou um dado novo: a presença de mulheres entre os acusados pelo crime de abuso contra criança e adolescente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.