Rodrigo Silveira/PRF/Divulgação
Rodrigo Silveira/PRF/Divulgação

Três crianças indígenas morrem atropeladas por caminhão no RS

Meninas da tribo Kaingang foram atingidas por um eixo que se desprendeu do veículo; outra vítima está internada em estado grave

Luciano Nagel, Especial para o Estado

19 Outubro 2015 | 11h19

Atualizado às 13h05

PORTO ALEGRE - Três crianças indígenas foram mortas nesta segunda-feira, 19, após serem atingidas por um dos eixos de um caminhão que se desprendeu e as atingiu. Outra criança, também da tribo indígena Kaingang, ficou ferida e foi encaminhada para o Hospital de Estrela, na região do Vale do Taquari. 

O acidente aconteceu por volta das 7 horas às margens da BR-386, nas proximidades do km 360, no município de Estrela, localizado a cerca de 120 quilômetros de Porto Alegre.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que atendeu a ocorrência, as vítimas são quatro meninas com idades entre 9 e 15 anos. A aldeia Kaingang fica situada a cerca de 500 metros da rodovia e é composta por 150 índios. 

Em entrevista a uma rádio local, o cacique da tribo disse que as meninas aguardavam o transporte escolar na parada de ônibus quando foram atingidas pela roda. O acidente revoltou a comunidade indígena na manhã desta segunda-feira, levando o grupo a bloquear a rodovia, em ambos os sentidos, em protesto contra as mortes. 

A reportagem do Estado entrou em contato com o Hospital Estrela, que informou que é grave o estado de saúde de A.S.L., de 13 anos, que está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

As vítimas fatais foram identificadas como Chaiane Soares Lemes, de 15 anos, a irmã Taís Soares Lemes, de 9, e a prima Franciele dos Santos Soares, de 14. 

Agentes da PRF de Soledade prenderam em flagrante, no final da manhã desta segunda-feira, o motorista envolvido no acidente. O caminhoneiro não prestou socorro e fugiu. Ele foi detido pelos policiais na cidade de Tio Hugo, a cerca de 140 quilômetros do local, na BR-386. 

Mais conteúdo sobre:
Rio Grande do Sul Acidente Estrela

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.