Crime domina o Rio na véspera da posse de Garotinho

Nas vésperas da posse do novo secretário de Segurança, Anthony Garotinho, o Rio de Janeiro registra vários crimes violentos. Cinco corpos, um deles esquartejado, foram encontrados no fim de semana. Em Vassouras, um policial foi morto próximo à delegacia e, ontem de manhã, dois assaltantes invandiram um prédio Flamengo, na zona sul, fizeram reféns, mas se entregaram à polícia logo depois. Em Niterói, uma família (mãe e dois filhos) sofreu um seqüestro relâmpago. O corpo esquartejado é do policial André Luiz Prata e foi encontrado num dos acessos do morro Jorge Turco, em Colégio, na zona Norte. Ele tinha antecedentes criminais e havia sido preso em flagrante por extorsão. Ficou detido até a quinta-feira da semana passada e desaparecera na sexta. O corpo foi reconhecido por sua família. Em Vassouras, o detetive da Polícia Civil Edson Fernandes, de 54 anos, estava de plantão e foi morto com três tiros no rosto quando saiu para comprar um lanche. Ninguém viu quem atirou.Quatro corpos - três mulheres e um homem - foram encontrados no alto do Morro do Chacrinha, em Campinho, na zona Norte. Eles estavam amarrados e haviam sido levados para lá na véspera, onde foram mortos a tiros. A polícia identificou Nildicéia Frutuoso Martins, de 28 anos, e Bárbara Rodrigues Ribeiro, de 18. A outra mulher e o homem não haviam sido identificados ontem.Na Rua Machado de Assis, no Flamengo, Rafael de Abreu Campista, de 22 anos, e Rodrigo Gonzales da Silva Ferreira de 21, invadiram um prédio de apartamentos após renderem o porteiro. Tentaram roubar o apartamento de Raimunda Brasiliana de Moura, de 69 anos, que estava em companhia da vizinha, Marília Lattari, de 62. Policiais foram chamados por vizinhos do prédio em frente. Após uma rápida negociação, eles resolveram se entregar. Usavam dois revólveres calibre 38. Foram levados para a 9º Delegacia de Polícia, no Catete.Em Niterói, Ana Lúcia Araújo e seus dois filhos foram sequestrados na noite sábado. Eles foram rendidos dentro do carro dela, no bairro Santa Bárbara, próximo à Rodovia Amaral Peixoto e levados para uma favela em São Gonçalo. O resgate foi negociado durante a madrugada de ontem e, após o pagamento, todos foram liberados.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.