Criminalidade aumenta no Rio

Os casos de latrocínio (assalto seguido de morte) mais que dobraram em abril deste ano, comparando-se com os crimes desse tipo registrados no mesmo mês de 2000.Segundo dados divulgados nesta segunda-feira no Diário Oficial do Poder Executivo do Estado, a polícia registrou 22 ocorrências de latrocínio no Rio em abril - no ano passado, foram contabilizados 10 casos naquele mês. A morte da fonoaudióloga Márcia Maria Costa Lira faz parte dessa estatística. Ela foi estuprada e assassinada a facadas depois que três homens invadiram sua casa, em Santa Teresa, para assaltá-la, no último dia 26.Os criminosos levaram jóias e R$ 500. Dois deles foram presos. Os dados do governo do Estado também contabilizaram aumento de 150% no número de roubos a bancos, comparando-se os meses de abril de 2000 e abril de 2001. No ano passado, ocorreram 6 assaltos, em abril, a instituições financeiras. Em abril desse ano, o número cresceu para 15. Também houve aumento de homicídios dolosos, furtos de veículos e roubos a residências. O secretário de Segurança Pública, coronel Josias Quintal, não quis falar sobre o aumento dos índices de criminalidade.O secretário municipal de Transportes, Luiz Paulo Corrêa da Rocha, anunciou nesta segunda que as linhas municipais mais assaltadas no Rio serão as primeiras a ter que instalar aparelhos de GPS (localização via satélite) e câmeras de vídeo. Relatório da Federação das Empresas de Transporte Rodoviário (Fetranspor) indica que há 40 ruas e avenidas do Rio em que os roubos a ônibus ocorrem com freqüência.Corrêa da Rocha acredita que as quadrilhas de assaltantes serão facilmente identificadas pela polícia pelas fitas de vídeo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.