Criminalista tenta tirar juiz Rocha Mattos da cadeia

O criminalista Alberto Toron começa nesta segunda-feira a definir uma estratégia para tentar tirar da cadeia o juiz João Carlos da Rocha Mattos. O advogado poderá apresentar habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Na sexta-feira, quando Rocha Mattos foi preso, Toron definiu o ato como "uma violência". Ele não vê "razões cautelares" para a custódia do juiz.Apontado como referência em causas criminais, Toron pretende inicialmente examinar os termos da acusação que pesa contra o juiz e os documentos que dão sustentação a ela. Toron está de posse das declarações do magistrado ao Fisco e de outros papéis que poderão servir para a defesa neutralizar o impacto da denúncia da Procuradoria da República.O advogado pode, ainda, apresentar recurso ao próprio Tribunal Regional Federal (TRF), que decretou a prisão do juiz. No TRF, Toron tem conquistado importantes vitórias.Rejeição de denúnciaNa semana passada, ele conseguiu rejeição de denúncia contra a juíza Adriana Pillegi de Soveral, titular da 8.ª Vara, acusada pelo Ministério Público por suposto abuso de autoridade e prevaricação.O caso teve início quando Rocha Mattos mandou oficiar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para apurar procedimentos supostamente irregulares em um fundo de servidores federais. Quando as informações da CVM chegaram, o caso foi distribuído livremente para a 8.ª Vara.Procuradores sustentaram que os autos ficaram muito tempo com a juíza. E alegaram que Adriana mandou retirar os autos da procuradoria. "O tribunal concluiu que não houve abuso e muito menos prevaricação por parte da juíza", declarou Toron.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.