Criminosos assaltam escola no RJ

Quatro bandidos armados com fuzis e metralhadoras invadiram nesta manhã o Instituto de Educação Professor Moysés Henrique dos Santos, em São João de Meriti, Baixada Fluminense, e roubaram 18 computadores, duas impressoras e celulares. Eles disseram ser da quadrilha do traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, acusado do assassinato do jornalista Tim Lopes, no mês passado. O comando da PM ordenou policiamento permanente na porta da escola.O assalto ocorreu por volta das 9 horas. Doze funcionários foram rendidos e obrigados a deitar no chão. Não havia aulas, já que os 1.900 alunos estão de férias. Como forma de intimidação, os criminosos - que usaram uma Kombi roubada e o carro da subdiretora para fugir - disseram que Elias Maluco tem a intenção de roubar todas as 1.925 escolas da rede estadual.Para o chefe de Polícia Civil, Zaqueu Teixeira, muitos bandidos usam o nome de Elias Maluco como uma "grife do terror". "Elias Maluco passou a se o símbolo do terrorismo. Isso faz com que as pessoas fiquem amedontradas e não forneçam dados à polícia, não colaborem com as investigações", acredita Teixeira. Hoje, a PM fez operações na área da escola e montou barreiras para tentar capturar os criminosos, mas ninguém foi preso. O comandante Francisco Braz pediu a participação da população. Os funcionários contaram à polícia que os bandidos disseram que a ação era em represália às ações do governo de combate ao crime. Os computadores e as impressoras roubadas já foram substituídos pela Secretaria Estadual de Educação. O secretário William Campos considerou o funcionamento dos aparelhos, nesta à tarde, uma "questão de honra" e disse que foi uma determinação da governadora Benedita da Silva (PT). "Roubar computador de escola é covardia, é como tirar doce da boca de criança. Quando o tráfico faz isso é porque não quer os alunos na escola. A melhor forma de ajudar a área de segurança é através da educação." O secretário disse que vai convocar a comunidade local para dar um abraço no colégio durante a Semana da Paz, que será realizada de 5 a 10 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.