Criminosos desafiam Garotinho com dois novos ataques

Criminosos voltaram a atacar policiais militares na madrugada desta quinta-feira no Rio, em dois bairros da zona norte, deixando um ferido, apesar do reforço no policiamento ostensivo nas ruas ordenado pelo secretário de Segurança, Anthony Garotinho. Em Manguinhos, o soldado Edmilson Cardoso Filho foi baleado por homens que passaram atirando por uma blitz. No Méier, bandidos metralharam uma cabine da PM, mas ninguém ficou ferido. A loja de eletrodomésticos Ponto Frio também foi alvejada.No caso de Manguinhos, a polícia informou que os policiais inspecionavam um caminhão roubado estacionado na Rua Leopoldo Bulhões quando foram surpreendidos pelos criminosos, que atiravam da Favela de Manguinhos. Os pneus e a lataria do carro dos PMs foram atingidos pelas balas. O soldado Cardoso Filho, lotado no batalhão de Benfica, levou um tiro na coxa e passa bem. O ataque foi por volta da zero hora de ontem. Ninguém foi preso.De acordo com a PM, pelo menos quatro homens armados, que estavam num Fiat Siena cor prata, dispararam tiros de fuzil contra a cabine da corporação que fica na esquina das ruas Dias da Cruz, a principal do Méier, e Hermengarda. Três policiais que estavam de plantão se jogaram no chão e saíram ilesos. A porta da loja Ponto Frio ficou com uma marca de tiro. Moradores contaram que ouviram os disparos por volta das 3 horas. "Foi um susto muito grande, até porque foi a primeira vez que aconteceu isso aqui. Corri para o quarto dos fundos para me proteger", disse uma professora que mora num prédio em frente à cabine e que não quis ter sua identidade divulgada. Os bandidos fugiram em direção ao Morro do Gambá, no bairro vizinho do Engenho Novo, e foram perseguidos pelos policiais da cabine. Houve tiroteio e o carro da polícia foi atingido, mas ninguém se feriu. O comandante do batalhão do Méier, coronel Paulo Mouzinho, disse que o objetivo dos bandidos era "provocar sensação de insegurança na população". Ele reforçou o policiamento na área. No fim da noite de quarta-feira, apesar das blitze montadas pela PM a mando do secretário de Segurança para reduzir os índices e criminalidade, houve tiroteio na Linha Vermelha, via expressa que liga o centro da capital à Baixada Fluminense. O confronto foi na altura do conjunto de favelas da Maré. Assustados, motoristas voltaram de marcha-ré, com medo de balas perdidas.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.