Polícia Militar
Polícia Militar

Dupla invade creche, faz professora refém e assusta crianças em GO

Homens entraram na unidade de ensino para fugir da polícia após tentativa fracassada de duplo homicídio; além da docente, havia 8 bebês de 4 meses a 1 ano

Rubens Santos, Especial para o Estado

22 Fevereiro 2017 | 13h56

GOIÂNIA - Uma professora e oito bebês com idades de 4 meses a 1 ano viveram momentos de terror e pânico, nesta terça-feira, 21, em Goianira, na região metropolitana de Goiânia, quando a creche em que estava foi invadida por Diogo Faria Bernardo, de 23 anos, e Gabriel Ribeiro Dias, de 20. Os dois fugiam da Polícia Militar, e invadiram o Centro Integrado de Educação Infantil (CMEI) após fracassarem em tentativa de duplo homicídio. 

"Nossa equipe foi recebida a tiros", disse o subtenente Elias de Souza.  O policial relatou que o cerco começou quando a PM surpreendeu os dois tentando matar um casal. "Eles alegam que estariam cobrando uma dívida de R$ 50. E, na fuga, invadiram a creche."

No interior da creche, os gritos assustados das crianças e da professora tomada como refém tornaram o clima ainda mais tenso. "Joga a arma no chão e empurra", ordenou o policial. "Não me mata, não, eu tenho família", teria respondido o suspeito, antes de levantar as mãos e se render.

"Quando ele entrou, pensei que fosse pai de uma das crianças", disse a professora. "Mas ele tirou a arma e me fez de refém, me levou para o banheiro e falou que precisaria de mim para sair daquele lugar, pois ele não queria morrer."

Ela contou que, no momento da invasão do CMEI, segurava um bebê no colo. "Eu pedi a ele para colocar o bebê no berço e que ele levasse só a mim", disse.

O suspeito ordenou que deixasse o bebê no berço, manteve a arma na cabeça da jovem até se entregar à polícia.

Mais conteúdo sobre:
GoianiraPolícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.