Criminosos que queimaram casal são transferidos de presídio

Uma ameaça de rebelião na Penitenciária II de Sorocaba levou a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) de São Paulo a determinar nesta sexta-feira uma nova transferência dos dois homens acusados de seqüestrar e matar queimados um casal e seu filho de cinco anos em Bragança Paulista. Eles foram levados para uma unidade de Tremembé, no Vale do Paraíba.Depois de roubar a loja da família, eles prenderam as vítimas num carro e atearam fogo. Os dois criminosos, o serralheiro Joabe Severino Ribeiro, de 36 anos, e o eletricista Luis Fernando Pereira, de 37, tinham sido levados na quinta-feira para uma cela do "seguro" do presídio de Sorocaba porque, em Bragança, tinham sofrido tentativas de linchamento. Nesta sexta-feira, os cerca de 1,2 mil presos de Sorocaba ameaçaram "virar" o presídio e linchar "monstros", como chamavam os dois presos. Segundo funcionários, os presos começaram a bater nas grades e exigir a transferência dos criminosos, que estavam isolados em uma cela. Os presos do "seguro" também alegaram que não tinham condições de compartilhar a ala com os "monstros". O clima ficou tenso e havia risco de violência. Os presos não admitem a presença de autores de crimes considerados bárbaros, como os que envolvem crianças. A administração da penitenciária entrou em contato com a secretaria que determinou a remoção dos dois presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.