Ministério da Justiça
Ministério da Justiça

Criminosos queimam escolas, caminhão de lixo e ônibus escolar no 20º dia de ataques no Ceará

Segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido; desde o início do mês, a Força Nacional também reforça as ações de segurança no Ceará; 403 pessoas foram presas

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2019 | 12h55
Atualizado 22 Janeiro 2019 | 12h29

SÃO PAULO - A onda de violência já chega ao 20º dia no Ceará. Desde o dia 2 de janeiro, os atentados afetam a movimentação e a rotina da população de Fortaleza e cidades do interior

A Prefeitura de Itarema, no litoral Oeste do Ceará, informou que a Escola Municipal de Ensino Fundamental Geralda Bonifácio Rodrigues, em Saquim, e a Escola Liceu José Maria Monteiro, no distrito de Almofala, além de um ônibus escolar, da localidade de Panã, foram incendiados na madrugada desta segunda-feira, 21. 

"As instituições e o veículo ficaram danificados e o dano não foi pior porque pessoas da região colaboraram para debelar as chamas. Oferecemos recompensa a quem colaborar na identificação dos responsáveis pelos atos criminosos", destacou a nota da prefeitura. 

Ainda na madrugada desta segunda-feira, bandidos incendiaram um caminhão de lixo na cidade de Jaguaruana, no Vale do Jaguaribe. Segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido.

Na noite de domingo, 20, criminosos também colocaram gasolina em um ônibus, no Bairro Mondubim, em Fortaleza. Ninguém estava dentro do veículo.  

O tenente Romário Fernandes, do Corpo de Bombeiros do Ceará, ressalta que a equipe foi acionada para a ocorrência. "Jogaram a gasolina, mas não conseguiram atear fogo. A tentativa de incêndio foi registrada. Fomos acionados para limpar o ônibus. Ninguém ficou ferido", disse.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que 403 suspeitos já foram capturados por envolvimento nos atos criminosos registrados no Ceará.

Homens da Força Nacional também reforçam as ações de segurança no Ceará desde o início do mês. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.