Crise aérea acabou para o usuário, opina Anac

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou neste sábado, através de um relatório, que a crise aérea foi superada para o usuário. Segundo o relatório, antes do acidente envolvendo o jato Legacy com um Boeing da Gol, no dia 29 de setembro de 2006, que vitimou 154 pessoas, "havia uma média histórica de atrasos de vôos com mais de uma hora da ordem de 15% e 12% e esses dados foram entregues às CPIs da Câmara e do Senado pelo presidente Milton Zuanazzi. Tais números, por si só, demonstram que havia uma falta de investimentos em infra-estrutura aeronáutica e aeroportuária acumulada há muitos anos". Ainda de acordo com o relatório, a partir do acidente, com uma malha totalmente interligada, os controladores iniciaram um movimento reivindicatório, provocando atrasos em grande parte dos vôos. As operações eram feitas uma ou duas vezes por semana e cada movimento desses desencadeava atrasos por vários dias. A situação só foi resolvida, segundo a nota, após a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de determinar ao Comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, uma solução definitiva para o setor. Com a ação imediata do brigadeiro de transferir controladores de vôo da Defesa Aérea Nacional para a Aviação Civil, o problema se resolveu. A nota diz ainda que "com a queda dos atrasos fica evidente que a entrada de novos controladores supre, em parte, a falta de investimentos em infra-estrutura aeronáutica. É preciso mais investimentos tanto na infra-estrutura aeronáutica quanto na aeroportuária".

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

07 Setembro 2007 | 14h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.