Crise no transporte de São Paulo prejudica deficientes

O caos do sistema de transporte público em São Paulo atingiu os deficientes físicos que dependem do Programa Atende - transporte especial gratuito para pessoas com mobilidade reduzida. Crianças portadoras de deficiência estão perdendo aulas, assim como os que se recuperam de cirurgias não puderam comparecer a consultas médicas e sessões de recuperação.Pais acompanhados dos filhos deficientes prometem uma manifestação, que deve paralisar a Avenida 23 de Maio, na zona sul, a partir das 9 horas de terça-feira.Os portadores de deficiência começaram a ter problema com o transporte - que é gratuito - a partir do dia 7, quando nove empresas foram excluídas do sistema de transporte pela Prefeitura. Elas estariam passando por problemas administrativos e estão sob suspeita de diversas irregularidades.A região mais atingida foi a zona norte de onde saem muitos usuários. Crianças e adolescentes que estudam no Lar Escola São Francisco e na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) - onde também recebem tratamento -, ambos na zona sul, começaram a perder além das aulas, consultas e exames médicos, sessões de fisioterapia, entre outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.