Cristian diz que confessou crime para proteger Daniel

Em seu depoimento no Tribunal Criminal da Barra Funda, que durou 1 hora e 25 minutos, Cristian Cravinhos repetiu a versão apresentada por seu irmão, Daniel, na tarde desta segunda-feira, 17, de que ele não participou do assassinato do casal Manfred e Marísia von Richthofen. Com o final do depoimento de Cristian, Suzane começou a ser ouvida.Segundo disse Daniel em seu depoimento, ele matou os pais de sua então namorada, Suzane, sozinho. Cristian teria entrado no quarto do casal, mas ficou nervoso e passou mal no momento do ataque, não ajudando Daniel a executar o crime. Até então, acreditava-se que Daniel teria tido a ajuda do irmão para dar os golpes que mataram o casal.Em suas declarações, Cristian afirmou que Daniel e Suzane chegaram transtornados na casa da família Cravinhos dizendo que iam matar os pais dela. Quando encontraram Cristian no cybercafé onde estava Andreas, irmão mais novo de Suzanne, levaram-no de carro até a casa dos Richthofen. A caminho da casa dois pais, já pretendendo matá-los, Suzane fumava um cigarro de cravo como se estivesse indo a um parque de diversões, disse Cristian.Cristian repetiu a versão de Daniel, dizendo que subiu ao quarto do casal, mas não bateu em ninguém. Ficou na janela vendo o irmão dar os golpes que mataram Manfred e Marísia. Ele disse que, depois de ter visto o assassinato, não conseguia dormir. Em seu primeiro depoimento, em 2002, Cristian havia dito que atacara Marísia. Hoje, ele afirmou ter feito a confissão para proteger o irmão Daniel, esperando que a pena do irmão fosse abrandada.Pressionado pelo promotor Nadir de Campos Júnior, Cristian jurou pelos próprios pais que não havia batido em ninguém. Ele se recusou a responder às perguntas que o advogado de Suzane lhe fez. Cristian disse que o arrependimento é uma tatuagem no coração e que ele vai levar essa tatuagem até a morte. MentiraPara Mário Sérgio de Oliveira, um dos advogados de Suzane a declaração de Daniel Cravinhos de que apenas ele participou do assassinato de Manfred e Marísia é uma estratégia da defesa dos irmãos Cravinhos. "É uma estratégia para que um seja condenado e o outro não. Ele pode falar o que ele quiser. Ele pode mentir à vontade porque ficou bem claro durante o interrogatório dele que ele mentiu", afirmou o advogado. CrimeSuzane, seu ex-namorado Daniel e o irmão dele, Cristian, confessaram ter planejado e matado os pais dela, Marísia e Manfred von Richthofen, a golpes de barra de ferro, na casa em que a família vivia, em outubro de 2002.Os três foram denunciados pelo Ministério Público por crime de duplo homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa das vítimas.Ampliada às 20h06

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.