Cristovam abre debate perguntando para Lula, ausente

O último debate da TV Globo com os candidatos à Presidência da República, mais uma vez, não teve a presença do presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que enviou carta à emissora depois do suspense sobre a sua ida durante todo o dia. A cadeira do presidente no debate permaneceu vazia. Estavam presentes Geraldo Alckmin (PSDB), Heloísa Helena (PSOL) e Cristovam Buarque (PDT). O primeiro tema sorteado para o debate da TV Globo foi sobre impostos. Buarque começou perguntando se presidente Lula renunciaria, caso ficassem comprovadas as suspeitas de uso de recursos públicos e "outros recursos de que não sabe a origem" nos recentes escândalos de corrupção. De acordo com as regras do debate, perguntas para o candidato ausente poderiam ser feitas.Como Lula estava ausente, o candidato do PDT dirigiu sua pergunta a Alckmin. O tucano começou criticando o governo Lula e citou o caso dos sanguessugas ao falar que o desperdício e a corrupção contribuem para a ineficiência do Estado. "Governo gasta muito e gasta mal. É priorizar educação, saúde e segurança", afirmou.Cristovam Buarque sugere um "choque de gestão" e um "pacto dos três poderes" para que o Brasil não seja mais dividido pelo que chamou de dois grandes muros: o que existe entre pobres e ricos e entre o País e os países mais ricos. "A revolução deve ser feita por meio da educação", disse. Alckmin finalizou afirmando que a carga tributária é absurda e serviços públicos são muito ruins. "Em 1º de janeiro, vou trabalhar para acabar com a corrupção e depois eficiência e gestão. Ajuste para baixar os juros e fazer o país crescer para ter emprego e renda. E para o país ir para a frente", defendeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.