Cristovam Buarque culpa Lula por crise em São Paulo

Em campanha na Baixada Fluminense, o candidato do PDT à Presidência, Cristóvam Buarque, criticou o presidente Lula, a quem responsabiliza pela crise de segurança no Estado de São Paulo.Para o senador, o presidente deveria declarar que há uma guerra civil no País. "Volto a insistir que não é apenas violência, mas uma guerra civil. Isso significa que o problema tem que ser enfrentado pela República, pela nação, pelo presidente da República. Não adianta enfrentar guerra civil apenas com as polícias estaduais, até porque são muito desiguais. O presidente precisa convocar o conselho da República, declarar que o Brasil vive uma guerra civil e que, para enfrentar, são necessárias medidas em nível nacional", disse Buarque. O pedetista, no entanto, afirmou que não é necessário o emprego do Exército em São Paulo, mas a criação de uma espécie de agência federal de segurança para coordenar as polícias estaduais e até mesmo ajudar "estados que não querem ser ajudados".O senador disse que a eleição pode estar atrapalhando o entendimento entre o governo federal e São Paulo. "O que está em jogo não é o governador , ele está bem protegido, mas é o povo. Não pode um presidente da República deixar o povo abandonado". Buarque, depois de caminhar no centro de Nova Iguaçu faz agora corpo-a-corpo em São João de Meriti. Ele ainda fará campanha no centro do Rio e em Niterói.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.