Cristovam diz que continua sendo "lulista"

O candidato à Presidência da República pelo PDT, senador Cristovam Buarque (DF), disse neste sábado que ainda continua sendo "lulista" se for levado em conta o que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva representava em 2002. "O Lula de 2006 é diferente. O povo não tem mais esperança", afirmou o presidenciável do PDT, durante visita a Juiz de Fora. Cristovam também anunciou que pretende mudar o programa Bolsa Família, retomando o antigo modelo do Bolsa Escola. "A liberação de recursos deve acontecer mediante acompanhamento da freqüência escolar".O candidato do PDT elogiou o Programa Universidade para Todos (ProUni), mas ressaltou que precisa de alguns ajustes. Na sua avaliação, qualquer proposta para educação deve ser uma "bandeira de todos". "É impossível pensar educação apenas em quatro anos. São necessários 20 anos para as coisas começarem a mudar". Cristovam fez uma analogia com a questão do petróleo e aproveitou para alfinetar o Governo federal. "A autonomia do petróleo, por exemplo, está sendo buscada há 50 anos. Não começou agora, neste Governo".Apoio de ItamarCristovam confirmou que vai procurar pessoalmente o ex-presidente Itamar Franco (sem partido) e convidá-lo a ingressar no PDT. "Nós do PDT estamos fazendo este convite a ele (Itamar), mas ainda não foi possível formalizar a proposta pessoalmente por uma questão de agenda". De acordo com o senador, o apoio do ex-presidente é fundamental pelo legado de credibilidade e respeito.O senador participou pela manhã, em Juiz de Fora, do lançamento da campanha ao Senado do empresário Omar Peres. Depois, ele fez caminhada pela Rua Halfeld, tradicional ponto de discussão política da cidade. No início da noite, Cristovam participaria de encontro com prefeitos da Zona da Mata mineira na cidade de Leopoldina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.