CRM/GO exclui falso cirurgião de relação de especialistas

Só nesta quarta-feira o Conselho Regional de Medicina (CRM) de Goiás decidiu suspender de seu quadro de especialistas o médico Denísio Marcelo Caron. Até esta quarta, o nome dele ainda constava no site do CRM como especialista em cirurgia plástica.A medida foi provocada pela Justiça Federal, que nesta quarta enviou comunicado ao CRM, determinando a exclusão do médico do quadro de especialistas do conselho. O CRM de Goiás também ficou com a incumbência de comunicar oficialmente a suspensão a todos os demais CRMs do País.Uma reunião realizada nesta quarta entre a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - Seção de Goiás (SBCP-GO) e o Ministério Público de Goiás tentou estabelecer parâmetros para que sejam realizadas cirurgias reparadoras em dezenas de ex-pacientes de Caron. Muitos ainda sofrem de seqüelas, que vão da perda de movimentos nos braços a problemas psicológicos, como síndrome do pânico.O presidente da SBCP-GO, Célio Leão, vai escalar um grupo de cirurgiões plásticos para avaliar as mais de 30 vítimas. A decisão sobre como serão feitas as cirurgias acabou adiada para a próxima segunda-feira. O inquérito policial que investiga as causas da morte da oficial de justiça Flávia de Oliveira Rosa foi concluído na segunda-feira, pouco antes de o fato completar um ano. Flávia morreu em 12 de março passado, aos 23 anos, cinco dias após se submeter a uma lipoaspiração com o médico Denísio Marcelo Caron.O 1º Distrito Policial (DP) de Goiânia indiciou o médico por homicídio culposo. Este foi o primeiro inquérito a chegar ao Ministério Público de Goiás. Outros 31 inquéritos, referente às 29 mulheres com lesões corporais e outras 2 mortes, ainda serão montados pela Polícia Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.