Culpa por morte de amigo pesa para vendedor

Sydney Liberato Júnior, de 24 anos, vendedor de uma loja de roupas, fala bem baixinho, como se estivesse sussurrando. "Pô, uma pessoa morreu e eu fiz isso, dirigindo. Gostaria de estar no lugar dele, para não ter feito isso ao Guilherme." Na segunda-feira, Júnior dirigia o seu Palio Weekend vermelho na Rua Bairi, na Lapa, quando perdeu o controle e bateu em um poste. Segundo ele, a culpa foi da ondulação na pista. Seu colega de trabalho, o estudante Guilherme Augusto Pereira, de 19 anos, estava no banco de passageiro e morreu na hora. Sydney quebrou o pé esquerdo em três partes e machucou o peito. "Não sei como vai ser viver com esse sentimento de culpa por ter causado a morte de uma pessoa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.