Cultura de seqüestro no Brasil é tema de programa da BBC

O cotidiano da Divisão Anti-Seqüestros de São Paulo foi mostrado em documentário na emissora de televisão BBC, da Grã-Bretanha, nesta quinta-feira às 21 horas, horário nobre na programação nacional. O documentário Kidnap Cops enfocou a cultura de seqüestros no Brasil. O programa de uma hora apresentou entrevistas com os jogadores de futebol Robinho e Grafite, que tiveram parentes seqüestrados, e trouxe até mesmo depoimentos de um seqüestrador preso e de um que segue em atividade e que aparece encapuzado.Entre as imagens mais contundentes mostradas em Kidnap Cops, estão as de vídeos feitos por seqüestradores e enviados às famílias das vítimas.Um dos vídeos mostra os seqüestradores de Marina Souza, a mãe de Robinho, ameaçando cortar seu cabelo e os dedos de sua mão com uma faca."Métodos" No programa, um atual seqüestrador fala também de seus "métodos" para melhor extorquir a família da vítima e para lidar com a polícia. Segundo ele, quando os familiares afirmam não ter dinheiro, eles "ameaçam cortar alguma coisa", para pressionar pelo pagamento de resgate.O mesmo seqüestrador conta como ele e seus comparsas tendem a agir quando estouram o cativeiro em que mantêm suas vítimas, dizendo que eles tentam "negociar" com a polícia. Mas, segundo o entrevistado, se isso não funciona, "a gente tem que matar (a vítima) ali mesmo".O documentário explora também a trajetória de Célio Marcelo da Silva o "Bin Laden", que é visto ameaçando vítimas em vídeos que fez para extorquir familiares e é também entrevistado após ter sido preso. "Bin Laden", que tramou o seqüestro da mãe de Robinho, afirma: "Não tenho nada contra ela, não. Ela se portou bem. Só chorava às vezes, de saudade".No programa, os policiais da Divisão Anti-Seqüestro falam de policiais que são vítimas da violência, mas também de oficiais corruptos que atuam na corporação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.