Divulgação
Divulgação

Passageiros elegem Aeroporto de Curitiba como melhor do País

Levantamento foi apresentado pela Secretaria de Aviação Civil nesta terça-feira; Cuiabá tem o terminal pior avaliado

Bernardo Caram, O Estado de S. Paulo

10 Novembro 2015 | 13h40

BRASÍLIA - O Aeroporto de Curitiba foi o mais bem avaliado do País no terceiro trimestre deste ano. A segunda posição em satisfação dos passageiros ficou com o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. O levantamento, apresentado nesta terça-feira, 10, pela Secretaria de Aviação Civil (SAC), através da Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, mostra que Cuiabá tem a pior avaliação do País.

Pela metodologia utilizada, as notas variam de 0 a 5. Curitiba ficou com 4,51, um avanço de 7,8% em relação ao terceiro trimestre do ano passado. Com um forte avanço, de 27,5%, Guarulhos alcançou 4,41 pontos. Recife, na terceira posição, tem 4,39 pontos. Entre os três primeiros colocados, apenas Guarulhos não é administrado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), mas pela iniciativa privada.

A pesquisa considera os 15 aeroportos mais movimentados do País, que transportam 80% dos passageiros. "Entre os três melhores aeroportos, dois são operados pela Infraero. Isso mostra que a concessão trouxe melhora grande, mas a Infraero sabe o que fazer com os nossos aeroportos", disse o ministro Eliseu Padilha.

Entre os mal avaliados, Cuiabá retrocedeu 9,8% e ficou com nota 3,28. Salvador tem 3,73 pontos e Galeão, no Rio de Janeiro, 3,95 pontos. Na avaliação da SAC obras no Galeão, que é preparado para as Olimpíadas de 2016, geraram insatisfação. No trimestre anterior, a nota do terminal era mais alta, em 4,13. Atualmente, 75% das obras no aeroporto estão prontas.

Na avaliação específica de serviços prestados nos terminais, o pior indicador diz respeito à disponibilidade de internet sem fio para passageiros. Também receberam notas ruins a presença de tomadas, o preço da alimentação e o valor cobrado nos estacionamentos.


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.