Dados da CPI serão usados contra pedofilia em 64 países

Em abril, Google entregou à Comissão dados que antes eram sigilosos e ajudaram nas investigações

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

16 de setembro de 2008 | 17h34

Os dados da Google obtidos pela CPI da Pedofilia no Brasil vão começar a ser usados por governos em todo o mundo para investigar crimes de pedofilia. No início do próximo mês, a CPI entregará ao governo da Índia os dados recolhidos a partir das informações do site Orkut. As informações também serão usadas por outros 64 países para tentar identificar supostos criminosos. As informações foram dadas ao Estado pelo senador Magno Malta (PR-ES), que está em Genebra para reuniões sobre o futuro da Internet na ONU. Malta é o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pedofilia.  Em abril, o Google, dono do Orkut, entregou à CPI os dados referentes aos álbuns privados que tiveram o sigilo quebrado. Entre as informações estavam dados de acesso e fotos presentes nesses álbuns. Como o site é internacional, os dados não se limitam a cidadãos brasileiros.  Segundo ele, mais de 500 usuários do Orkut foram flagrados em crime de pedofilia. Eles estão entre os donos de 3.261 álbuns privados do portal que tiveram o sigilo quebrado pela comissão. "Estamos esperando mais 18 il álbuns privados e estimamos que possamos identificar cerca de sete mil pessoas", afirmou Magno Malta.  Nesta terça-feira, 15, em uma reunião na ONU para tratar da segurança na Internet, o senador anunciou aos demais países que a base de dados coletadas pela CPI estava "à disposição de qualquer governo".  Leia a reportagem completa na edição de quarta-feira, 17, de O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
CPI da PedofiliaOrkut

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.