Dançarina conhecida como 'rainha das cobras' é achada morta em boate

Perto do corpo de Haybara Zead havia uma jiboia e uma píton; hipótese de picada foi descartada

Rene Moreira, Especial para O Estado

25 de julho de 2018 | 18h11

A Polícia Civil apura a morte de uma dançarina de 35 anos encontrada dentro do quarto de uma boate em Atibaia (SP) nesta terça-feira, 24. No local também havia duas serpentes, uma píton e uma jiboia, que, segundo funcionários do local, eram usadas em apresentações na casa noturna.

Haybara Zead, conhecida como "rainha das cobras", não tinha sinais aparentes de violência. Também foi descartada a possibilidade de ela ter sido vítima de picada de cobra. Foram localizados resquícios de droga perto do corpo e o caso foi registrado na polícia como morte suspeita.

A mulher era de Montes Claros (MG) e estava havia poucos meses em Atibaia. A dona do estabelecimento alegou que Haybara já não atuava mais no local e que pediu um tempo para deixar a boate. Após ter ficado três dias com a porta do quarto trancada, funcionários resolveram entrar e a encontraram já sem vida. 

O delegado Elton Costa disse que exames vão indicar a causa da morte e que as cobras foram encaminhadas para uma entidade de Jundiaí. Uma delas deve voltar à natureza. "A outra é um animal exótico e, por isso, vai receber cuidados em um local adequado", explicou. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.