Dançarina veio aproveitar folga com amigas no Brasil

Eithne Walls fazia parte do elenco da companhia de dança Riverdance, que esteve em cartaz na Broadway

AP, O Estadao de S.Paulo

03 de junho de 2009 | 00h00

Uma médica e dançarina da conceituada companhia irlandesa Riverdance era uma das passageiras do voo AF 447 da Air France que desapareceu na noite de domingo quando ia do Rio para Paris. Eithne Walls, de 29 anos, veio ao Brasil para aproveitar duas semanas de férias com as amigas da época de faculdade, as também médicas Aisling Butler, de 26 anos, e Jane Deasy, de 27. As duas também estavam no avião.Eithne era dançarina artística e de competições. Ela ganhou medalhas em eventos na Irlanda e também no exterior. Em 2000, Eithne entrou para o Riverdance, companhia musical irlandesa que se tornou famosa pelos rápidos movimentos do tronco realizados pelos seus dançarinos, enquanto os braços e pernas pouco se mexem nas evoluções.Eithne permaneceu quase cinco anos no elenco principal da companhia e participou de apresentações no Music City Hall, em Nova York, em Xangai e nas principais cidades europeias. Ela também ficou um ano em cartaz na Broadway, em Nova York, e outra temporada no Gaiety Theatre, em Londres. A dançarina deixou o elenco principal da companhia para estudar Medicina na Universidade Trinity, onde se formou em 2007. No entanto, ela ainda praticava dança nas horas vagas e permanecia realizando espetáculos periodicamente com o Riverdance. Atualmente, ela atuava no Hospital dos Olhos e Ouvidos de Dublin.Foi na faculdade que Eithne conheceu as amigas que viajaram com ela para o Brasil, onde ficaram por duas semanas. Jane Deasy era médica também em Dublin, e Aisling Butler vivia na cidade de Roscrea. HARPISTADe acordo com o jornal turco Hurryet, também estava no avião da Air France a harpista profissional Fatma Ceren Necipoglu, uma dos expoentes da música clássica da Turquia e professora da Universidade da Anatólia, a principal do país. A música tinha 37 anos e já havia realizado mais de 60 concertos em todo o mundo. A publicação afirma que Fatma veio ao Rio para a realização do 4º Festival de Harpa do Rio e iria retornar rapidamente ao seu país, pois esta é a temporada de exames finais na universidade. Ela faria escala em Paris e, então, embarcaria para Ancara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.