Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

De 41 voos cancelados nesta segunda em todo o País, 28 são da TAM

Companhia alega que chuvas entre quinta e sexta-feira causaram remanejamentos que prejudicaram a malha aérea e a escala da tripulação

Luciana Fadon Vicente e Priscila Trindade - Central de Notícias,

29 Novembro 2010 | 10h42

SÃO PAULO - Pelo menos 41 voos foram cancelados na manhã desta segunda-feira, 29, em todo o País, segundo informações da Infraero. Apenas da TAM, foram 28 cancelamentos. 

 

Atrasos. Por volta das 10 horas, dos 267 voos domésticos da companhia, 57 registraram atrasos superiores a 30 minutos e 28 (10.5%) foram cancelados. Entre os voos internacionais, houve atraso em pelo menos 6 dos 15 voos e nenhum cancelamento. 

 

Causas. Em nota divulgada hoje cedo, a TAM informou que, em decorrência de remanejamentos na malha aérea, voos registraram atrasos e cancelamentos acima da média em vários voos domésticos programados para entre domingo, 28, e a manhã de hoje. A empresa afirmou que os problemas foram causados pelas fortes chuvas que atingiram a região Sudeste entre a noite de quinta-feira, 25, e a madrugada de sexta-feira, 26. 

 

"Em consequência (das chuvas), 13 voos que deveriam pousar nos aeroportos paulistas e outros 3 nos do Rio de Janeiro tiveram de ser alternados para outros aeroportos, prejudicando a malha aérea e a escala da tripulação. A operação também sofreu impacto do fechamento do aeroporto Salgado Filho (Porto Alegre), na manhã de ontem. A prioridade da companhia é operar em total segurança e com respeito à Lei do Aeronauta, com seus limites de jornada, horas mensais e folgas", diz a nota.

 

A TAM afirmou que se empenha para normalizar a situação o "mais breve possível, colocando inclusive aviões maiores - que fazem as rotas internacionais - para voar para destinos nacionais". Segundo a companhia aérea, os passageiros estão recebendo a assistência necessária.

Mais conteúdo sobre:
TAM Anac crise aérea aeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.