De jesuíta a Renato Russo, discurso ''revisita o passado''

Argumentando que para olhar para o futuro é preciso revisitar o passado, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) abriu ontem seu discurso de posse com referências que saltaram dos jesuítas paulistas do século 16 ao cantor Renato Russo, líder do extinto grupo Legião Urbana.

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2011 | 00h00

Alckmin citou o jesuíta Baltazar Fernandes, que escreveu carta em 1568, a qual o tucano considera "síntese preciosa do espírito que movia os primeiros paulistas". "A lembrança dos esforços dos jesuítas revigora minha convicção de que é a vida pessoal modesta que forma o homem público responsável", afirmou.

Em seguida, ele citou Renato Russo como "inspiração". "Disciplina é liberdade. Compaixão é fortaleza. Ter bondade é ter coragem", recitou o novo governador de São Paulo, apresentando-se para a plateia como "incansável trabalhador".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.