De terno e gravata, dez assaltam prédio de luxo no Rio

Dez assaltantes armados e vestidos de terno e gravata assaltaram nesta terça-feira um prédio de luxo na praia do Leblon, a cem metros de uma cabine da Polícia Militar. Eles dominaram os moradores, que foram amarrados e mantidos deitados na garagem, e permaneceram no local por toda a manhã. O alemão Siegfried-Otto Shöen, de 63 anos, sofreu um enfarte e morreu. A polícia investiga a participação do ex-namorado de uma das filhas do alemão no assalto.Os criminosos entraram em seis dos sete apartamentos do prédio onde vivem um diplomata do Consulado Geral da Itália e o presidente do Fluminense, David Fischel, que também foi mantido como refém. Eles levaram jóias, dinheiro, cheques, um cofre e um carro do genro de Shöen, identificado como Alexandre. O porteiro José Mário Araújo da Silva foi rendido por um homem bem vestido, que dizia que queria entregar encomenda para ?dona Guilhermina?, mulher de Shöen. Silva abriu o portão e o criminoso anunciou o assalto.Por telefone celular, ele chamou os comparsas, que chegaram em dois carros. ?Os bandidos estavam vestidos que nem doutor, igual a um cidadão. Eles rendiam as empregadas que chegavam, amarravam na garagem, pegavam as chaves e subiam?, disse o faxineiro Adilson Brito, de 36 anos, o segundo a ser dominado pelos criminosos.Moradores reconheceram por fotografias um dos assaltantes. Oberdan Ferreira de Souza, de 25 anos, é morador da Cruzada São Sebastião, conjunto residencial para moradores de baixa renda, no Leblon, e atuou em outros assaltos na região. ?Ele gerenciou o roubo. Ficava na garagem se comunicando com os demais assaltantes?, afirmou o subcomandante do 23º Batalhão da PM, major Carlos Aquino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.