Debate do JT discute infra-estrutura e meio ambiente em SP

Serviços e meio ambiente são os temas do debate desta segunda-feira, 25, da série Repensando São Paulo, promovido pelo Jornal da Tarde há cinco semanas. O encontro, das 9 às 12 horas, conta com a presença dos secretários municipais de Serviços, Antonio Marsiglia, e do Meio Ambiente, Eduardo Jorge. O evento acontece no auditório do Grupo Estado, no Limão, zona norte de São Paulo. Buscar meios para formar uma consciência cidadã, que ajude a proteger mananciais e a recuperar o que restou da natureza é o que propõe o debate.Um dos temas discutidos será a proposta da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente que pretende dobrar o número de áreas verdes na capital. Atualmente, a cidade tem 32 parques que representam 15 milhões de metros quadrados. Um acordo com o governo do Estado prevê a compensação ambiental em 4 grandes unidades por causa das obras do trecho sul do Rodoanel Mário Covas, o que representaria um aumento de mais 15 milhões de metros quadrados de área verde. O secretário Eduardo Jorge deverá falar também sobre o Programa Municipal de Arborização Urbana na qual os moradores podem socilitar mudas de árvores nas subprefeituras que instruem o cidadão sobre a melhor espécie para a região.Em relação à infra-estrutura, o secretário Antonio Marsiglia deve falar sobre invasão de terrenos, bem como o aparecimento indiscriminado de favelas, que contribuem para o desequilíbrio ambiental. Debates O tema do quarto debate foi Urbanismo e ocupação do solo na cidade de São Paulo. O secretário municipal de Planejamento, Francisco Vidal Luna, destacou que São Paulo precisa de um Plano Diretor mais objetivo e simples. No debate, Nabil Bonduki, professor da Faculdade da Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), ressaltou que a ocupação da cidade tem que ser feita dentro dela, como na região central onde existem habitações vazias, e não somente na periferia. Segundo ele, há residências vazias no centro da capital com infra-estrutura adequada.Na terceira edição do debate, em 13 de setembro, o tema discutido foi educação. Durante o evento, o secretário de educação Alexandre Schneider ressaltou que as 72 salas de aulas de São Paulo - instaladas em contêineres anexos às escolas de alvenaria - abrigarão alunos somente até o final deste ano. Ele também afirmou que as sete escolas de lata que ainda estão em funcionamento deverão ser desativadas até o final de setembro. Na segunda edição do debate, no dia 6 de setembro, o tema foi transportes e o destaque foi a presença do secretário municipal de Transportes de São Paulo, Frederico Bussinger comentou sobre a obra do Expresso Tiradentes, o antigo Fura-Fila, e disse que o corredor, quando pronto, vai reduzir a viagem pela metade.A primeira edição foi realizada no dia 30 de agosto e contou com a presença do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que garantiu que acabaria com as escolas de lata em setembro e confirmou um aumento na tarifa dos ônibus. Pelo menos duzentas pessoas estiveram presentes nos eventos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.