Debate gera opiniões distintas entre apoiadores dos candidatos

O balanço de parlamentares sobre o debate entre os candidatos Lula (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) coincide, sem exceção, com a torcida de cada um deles. Os que apóiam Lula, como o senador Tião Viana (PT-AC), acredita que ele foi o melhor. Já os tucanos, se declaram surpresos e entusiasmados com o desempenho de Alckmin. "Lula saiu-se vitorioso, porque mostrou mais consistência em todas as afirmações sobre o estado brasileiro", afirmou Viana. Para o senador Heráclito Torres (PFL-PI), a "desestabilização emocional" de Lula era evidente ainda no domingo, quando criticou o adversário chamando-o de "delegado de porta de cadeia", e não de "advogado", como é usado popularmente. "Geraldo Alckmim foi seguro e objetivo e conhecedor dos problemas brasileiros, já o presidente Lula mostrou cansado e sem convicção, negando-se a responder as perguntas", alegou.Na avaliação do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), Lula se destacou, ao mostrar os feitos de seu governo nas seguintes áreas: "crescimento, oportunidade de emprego, estabilidade de preços, redução da pobreza e na defesa da política externa". Sobre as vezes em que o presidente faltou com a verdade, como ao afirmar que foi o primeiro a fazer reforma na Previdência, Suplicy o defendeu, atacando o adversário tucano que, na sua opinião, também errou quando disse que o bolsa-família não exige contrapartida da freqüência na escola. "É o que manda a lei", alegou. O petista lamentou a ausência do presidente nos debates realizados no primeiro turno das eleições.Vice na chapa da candidata Roseana Sarney (PFL, que disputa o segundo turno no Maranhão e apóia Lula, o senador João Alberto (PMDB-MA) acredita que só o presidente Lula "conseguiu falar para o povo". "Ele se saiu muito bem, sua conversa foi muito boa", alegou. O senador criticou o candidato tucano por ter chamado o presidente de "mentiroso". Ainda assim, acha que Lula se saiu bem, "comportou-se como estadista". Ao contrário, o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), avalia que o debate "terminou dez a zero", para seu candidato. "Teve um candidato humilde que respondeu às perguntas, que tratou com respeito o povo brasileiro e um outro que procurou esconder com um sorriso e deboche a falta de preparo para o cargo que ocupa", criticou. O senador Tião Viana pensa diferente. Segundo ele, Lula mostrou mais conhecimento em questões como segurança pública, energia e saneamento básico e não desceu ao "nível de embrutecimento que, na sua opinião, Alckmin tentou impor no debate".

Agencia Estado,

09 de outubro de 2006 | 20h13

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.