ANDRE DUSEK / ESTADAO
ANDRE DUSEK / ESTADAO

Debate: O Plano de Segurança é capaz de resolver o problema prisional do País?

Proposta foi anunciada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes

O Estado de S. Paulo

07 Janeiro 2017 | 03h00

Sim. As medidas do Plano parecem adequadas, mas sua execução é extremamente complexa porque depende da atuação de Estados e instituições com autonomia, ou seja, que não estão sob o comando do governo federal. Uma ação de extrema importância incluída no Plano para esvaziar os presídios é acelerar as audiências de custódia, mas isso depende do Poder Judiciário de cada Estado e cidade, e há locais em que essas audiências ainda não são realidade. Outra boa medida que também vai exigir integração é a criação dos Núcleos de Inteligência Policial nos Estados, importantes para monitorar a expansão das facções criminosas.

José Vicente da Silva Filho, coronel da reserva da Polícia Militar e consultor em Segurança Pública

--------------------------------

Não. Em primeiro lugar, não há um detalhamento de como esse Plano será executado. Em segundo lugar, a atual gestão ignorou tudo que estava sendo construído pelos governos anteriores e não ouviu especialistas na área de segurança, o que torna o Plano monocrático. Parecem palavras ao vento criadas para dar uma resposta para a sociedade diante dessa crise. Precisamos de medidas mais objetivas, como planos locais para combater a violência de acordo com as peculiaridades de cada área e estratégias para sufocar financeiramente as facções criminosas. Uma das medidas poderia ser a legalização da maconha, responsável por 20% dos ganhos dessas organizações.

Rafael Alcadipani, membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e professor da FGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.