TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Debate sobre posse de armas no Twitter teve 78,4 mil publicações

Pico de discussões ocorreu nesta terça, às 14 horas, logo após anúncio do decreto de flexibilização da posse, segundo levantamento da FGV

Redação, O Estado de S. Paulo

15 Janeiro 2019 | 23h40

O decreto que facilita a posse de arma de fogo no País, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira, 15, mobilizou 78,4 mil publicações no Twitter. Levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV) mediu a repercussão da medida nas redes sociais. 

O estudo monitorou as publicações no Twitter sobre o tema das 16 horas de segunda-feira, 14, até as 16 horas desta terça-feira, 15. Houve um pico de 17,6 mil publicações - 293 por minuto - às 14 horas, pouco depois do anúncio da medida

Entre as 32 publicações mais compartilhadas no período, 16 foram contrárias à facilitação da posse de armas. Os argumentos são de  que medida poderá aumentar o número de mortes de pessoas inocentes, sobretudo de crianças, mulheres e da população LGBT. 

Já nove publicações entre as mais compartilhadas eram claramente favoráveis à flexibilização, sob o argumento de que ela assegura o direito de legítima defesa. Sete postagens somente noticiaram o decreto assinado pelo presidente ou ironizaram as possíveis consequências da medida.

Hashtags e emojis

As hashtags que mais apareceram no debate foram #armamata, em 155 postagens, #possedearmaseuapoio e #medo e #ditadura, com cerca de 80 postagens (0,1%) cada. Já os emojis mais usados foram o do rosto em lágrimas, em 940 postagens (1,2%); o do rosto pensativo, em 785 postagens (1%); e o do polegar, em 705 postagens (0,9%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.