Décima ossada de mulher é encontrada no Paraná

Mais uma ossada de mulher, a décima desde agosto do ano passado, foi encontrada em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, município com cerca de 100 mil habitantes. Ela pode ser vítima de um possível maníaco que estaria agindo na região. Outra mulher está desaparecida desde o dia 17 de outubro. A Câmara Municipal instalou uma CPI para acompanhar as investigações e analisar as condições de trabalho da segurança pública no município.O corpo da cabeleireira Maria de Lourdes Franco, de 33 anos, que estava desaparecida desde a madrugada de 16 de setembro, foi encontrado domingo em um matagal na localidade de Venda Velha, perto de Tranqueira, distrito próximo da Rodovia dos Minérios, onde estava a maioria das ossadas. Ela havia sido vista pela última vez ao deixar um bar, em companhia de um homem no bairro Cachoeira. A cabeleireira era solteira e tinha dois filhos.O delegado Rogério Haisi disse que investiga também o desaparecimento da diarista Ivone dos Santos, de 31 anos, que havia saído de casa para fazer o recadastramento eleitoral e não foi mais vista, deixando um filho de 7 anos. "Ela não teria razão para fugir", diz o delegado. Das dez ossadas encontradas, apenas uma ainda não foi identificada.Em razão de uma das mortes o delegado já pediu a prisão preventiva de três pessoas. Mas ele não acredita que essas pessoas tenham cometido os outros crimes. Segundo ele, os crimes foram cometidos à noite e os corpos abandonados em locais ermos, o que dificulta o aparecimento de testemunhas.Algumas características, como a idade das vítimas, entre 30 e 40 anos, e a provável morte por estrangulamento chamam a atenção. Naquelas em que foi possível fazer exame mais apurado - os corpos foram encontrados mais de 30 dias após o óbito - , o estrangulamento foi comprovado. Há também indício de violência sexual, pois as calças aparecem abaixadas, mas não foi possível comprovar. Nesta quarta-feira, a CPI terá uma sessão pública para ouvir integrantes do movimento SOS Tranqueira, criado para pedir mais agilidade da polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.