Decisão de caso Battisti tem aval de ministros

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu ontem a decisão do governo brasileiro de negar a extradição do italiano Cesare Battisti. "Após ler o parecer da AGU (Advocacia-Geral da União), substantivo, não tenho a menor dúvida de que a decisão foi correta", disse o ministro. "A meu ver, o presidente Lula agiu em consonância com a decisão do STF, amparado em parecer da AGU. Não vejo por que o STF venha no futuro a atacar a decisão", disse. Cardozo negou que haja temor por parte do governo em relação a uma eventual retaliação da Itália. "Não creio em retaliação. O Brasil tem relações históricas com a Itália. Os italianos são nossos irmãos".

, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2011 | 00h00

Ontem, o novo ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, também falou sobre o caso Battisti. O ministro lembrou que o embaixador da Itália no Brasil participou da cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff, no sábado. Para o ministro brasileiro, a presença do representante italiano pode ser entendida como um sinal "do desejo dos dois países de prosseguirem o seu relacionamento e darem ênfase às convergências e uma agenda construtiva".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.