Declaração de Lula causa saia-justa

Presidente diz que França indenizará parentes de vítimas, mas Paris afirma que assunto é da Air France

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

16 de junho de 2009 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva causou polêmica ao anunciar ontem que o governo da França pagaria indenizações às famílias de vítimas do voo da Air France. As declarações de Lula foram dadas depois de um almoço em Genebra entre ele e o presidente francês, Nicolas Sarkozy. Mas o anúncio foi logo questionado pelos franceses. Paris se apressou em desmentir Lula e afirmou que a indenização é responsabilidade da companhia aérea, não do governo. Acompanhe todos os detalhes das operações de resgate"Sarkozy me disse para ficar tranquilo porque a França assumirá a responsabilidade pela indenização das famílias brasileiras e francesas e de outros países", disse Lula a jornalistas. O presidente garantiu que Sarkozy está sendo "muito solidário para com os brasileiros". "Eu já tinha falado com ele duas vezes por telefone, mais recentemente. E vamos continuar trabalhando juntos", disse Lula. A própria Air France confirmou que seria o seguro da empresa, e não o governo, que bancaria as indenizações. O Ministério do Transporte da França também negou, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que Paris fosse pagar indenizações. A pasta confirmou que seria a empresa aérea a responsável. Diplomatas que estiveram no almoço entre os dois presidentes, realizado na casa da embaixadora do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU), Maria Nazareth Farani Azevedo, revelaram que Lula e Sarkozy passaram pelo menos 15 minutos falando exclusivamente do acidente. O governo francês pediu ao Palácio do Planalto que nenhum jornalista fosse autorizado a se aproximar da residência onde ocorria o encontro e não quis fazer declarações à imprensa.Mas Lula entrou em detalhes da conversa, em sua conferência de imprensa. "Conversei com o presidente Sarkozy sobre o avião. Ele agradeceu o trabalho rigoroso das Forças Armadas, da Aeronáutica e da Marinha e a dedicação do Brasil. Ele mandou um submarino nuclear que está fazendo as investigações", disse Lula. O assessor de Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, também confirmou que Sarkozy prometeu que a França se encarregaria de todas as indenizações. "Isso foi dito por Sarkozy", afirmou Garcia.O presidente ainda garantiu que Sarkozy deu todas as indicações de que manteria as buscas pela caixa-preta do avião. "Ele disse que não vai sossegar enquanto não achar a caixa-preta do avião para saber o que aconteceu", disse Lula. O presidente afirmou que, na viagem de Brasília para Genebra, no domingo, sobrevoou, a bordo do Airbus da Presidência, exatamente a região onde ocorreu o acidente. "Ontem (domingo), ao vir a Genebra, passei pela mesma rota que fez o avião que sofreu o acidente. Tem coisas que você não pode mudar. E você não pode achar que um possível problema técnico vai acontecer todo dia, toda hora. Se fosse assim, a gente não estaria mais na rua quando tivesse acidente de carro", disse Lula. O presidente frisou que a busca pela caixa-preta é "fundamental". "O importante é encontrar a caixa-preta do avião para saber o que aconteceu. Se foi um defeito técnico, nós só vamos consertar se soubermos o que aconteceu. Como tem muitos Airbus viajando mundo afora, precisamos ter muito cuidado e tentar desvendar esse mistério." Lula não disse até quando os trabalhos de resgate continuarão. "A Marinha brasileira e a Aeronáutica irão ficar lá até chegarmos à conclusão de que não há mais o que fazer", completou o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.