Decretada a prisão de pizzaiolo que atirou em menina em Goiás

Garota de 11 anos tentava proteger o pai dos tiros e está em estado gravíssimo

Marília Assunção, Especial para o Estado

30 Abril 2013 | 13h06

* Atualizada às 18h54

GOIÂNIA - A Justiça de Aparecida de Goiânia determinou no final da tarde desta terça-feira, 30, a prisão temporária do comerciante e pizzaiolo George Araújo de Souza, de 24 anos. George baleou K. A. L., de 11 anos, na cabeça e em uma das pernas quando ela se colocou na frente do pai, o serralheiro Sinomar Lopes, de 36 anos, para protegê-lo dos tiros. Ela e uma irmã de 14 anos se colocaram como escudo quando viram que ele era ameaçado pelo homem armado.

A agressão ocorreu no sábado, 27, e foi filmada por um cinegrafista amador e gravada pelas câmeras do circuito de segurança da própria pizzaria. O último boletim médico de K., divulgado nesta terça-feira, indica que ela permanece em estado gravíssimo, na UTI do Hospital de Urgências de Goiânia.

A delegada titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Aparecida de Goiânia, Marcela Cordeiro Orçai, havia pedido pela manhã a prisão para garantir "a imprescindibilidade da prisão para o bom andamento do inquérito, já que nem a arma usada no crime foi entregue pelo autor". O pedido foi atendido pelo juiz Leonardo Fleury Curado Dias, da 4ª Vara Criminal de Aparecida de Goiânia, que determinou também a busca e apreensão da arma utilizada por George.

George escapou de ser preso em flagrante se apresentando espontaneamente durante o plantão policial do 4º Distrito de Aparecida, onde alegou legítima defesa. Contudo, a tese acabou descartada de imediato pela titular da DPCA devido à precisão das imagens gravadas. Nelas, George não hesita e mira o tempo todo na direção de Sinomar, cuja reação é ficar abraçado às filhas, tentando se afastar para perto do carro da família. O que gerou toda a violência foi um desentendimento banal por demora no atendimento à família do serralheiro, há cerca de dois meses.

Mais conteúdo sobre:
Aparecida de Goiânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.