Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Defensor dos direitos da infância é assassinado em SP

O educador e defensor dos direitos da infância Joselito Lopes Martins, de 33 anos, foi morto nesta sexta-feira, com tiros na cabeça e nas costas, na frente da casa onde morava, na Rua Capitão Cláudio Coutinho, em São Mateus, zona leste de São Paulo.O corpo foi achado às 2h20, depois que uma vizinha chamou a polícia. Martins, que coordenava o projeto de segurança nas escolas da Prefeitura, estava em seu Palio. Os faróis do carro estavam acesos, e o portão da garagem, aberto.A polícia não tem pistas do crime. Aparentemente, nada foi roubado. De acordo com o delegado Armando de Oliveira Costa Filho, diretor da Divisão de Homicídios, nenhuma hipótese para o homicídio é descartada.O advogado Ariel de Castro Alves, da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), afirmou que Martins não estava sendo ameaçado.Formado em história, Martins atuava com Alves no recebimento de denúncias de irregularidades na Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem). Ele foi integrante do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, entre 1997 e 2001, e sempre trabalhou pela adoção do Estatuto da Criança e do Adolescente. "Vamos acompanhar a apuração da polícia", disse Alves.Atualmente, Martins atuava no Fórum dos Direitos da Criança e no Centro de Formação da Guarda Civil Metropolitana. Também era educador do Núcleo de Trabalhos Comunitários da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). O enterro será neste sábado, às 8 horas, em Suzano.

Agencia Estado,

07 de fevereiro de 2003 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.