Defensoria Pública quer evitar transferência de presos para Bangu 3

A Defensoria Pública do Estado do Rio entrará até o fim da semana com um mandado de segurança no Tribunal de Justiça para tentar reverter a transferência de 448 presos do presídio Alfredo Tranjan (Bangu 2) para a penitenciária Dr. Serrano Neves (Bangu 3), unindo na mesma unidade criminosos de facções rivais.A medida foi tomada pela Secretaria de Administração Penitenciária do RJ sob alegação de que enfraqueceria o poder dessas facções nos presídios, mas esbarrou na resistência de funcionários, presos e familiares, que temem brigas internas. Desde a manhã de segunda-feira, 4.350 detentos estão em greve de fome. Bangu 3 tem hoje 896 detentos. Metade é ligada ao Comando Vermelho e a outra ao Terceiro Comando, transferidos de Bangu 2. O subsecretário de Administração Penitenciária, Aldney Peixoto, disse que a intenção do Estado é acabar com a divisão dos presídios por facções. "Às vezes temos 60 vagas ociosas e centenas de preso na Polinter dormindo em pé, mas eles não podem entrar no sistema penitenciário porque as vagas são para o Terceiro Comando. Isso é um absurdo. Os presos chegam rotulados da polícia", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.