Defesa Civil confirma 5ª morte causada pelos deslizamentos em Teresópolis

Sistema de alerta sonoro foi acionado em áreas de risco e moradores foram retirados de suas casas, na região serrana do Rio de Janeiro

estadão.com.br,

06 Abril 2012 | 21h35

Texto atualizado às 7h58

SÃO PAULO - O secretário estadual da Defesa Civil do Rio de Janeiro, o coronel Sérgio Simões, confirmou neste sábado, 7, a 5ª morte provocada pelos desabamentos em Teresópolis ocorridos em função das fortes chuvas que atingiram a região na tarde da última sexta, 6.

De acordo com o secretario, a estimativa é de que os deslizamentos tenham deixado, pelo menos, 300 pessoas desabrigadas e descartou chance de desaparecidos. "Nós encerramos o trabalho de buscas durante a madrugada", disse Simões.

As três vítimas encontradas primeiro morreram soterradas após deslizamentos de terra nos bairros do Bom Retiro e Quinta Lebrão. O casal e o adolescente de 14 anos que morreram não foram identificados. Equipes do Corpo de Bombeiros da cidade realizam buscas para localizar outras possíveis vítimas.

Até o momento, a cidade registrou oito deslizamentos de terra. A rodovia Rio-Teresópolis que tinha sido fechada na noite de sexta-feira nos dois sentidos por causa do risco de deslizamentos, já foi liberada. Até as 23 horas, cerca de mil pessoas tinham saído de suas casas e seguido para abrigos, segundo informações da Defesa Civil municipal.

O sistema de alerta sonoro foi acionado em comunidades com áreas de risco e moradores estão sendo orientados a seguir para os pontos de apoio. Por medida de precaução, equipes também foram mobilizadas em Nova Friburgo, onde o Rio Bengalas permanece em estágio de atenção. Também houve interdição de um trecho da RJ-142, em Nova Friburgo, que liga os distritos de Mury e Lumiar.

Em nota, a Secretaria de Estado da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros informou que o secretário Sérgio Simões segue nesta noite para Teresópolis para acompanhar a situação.

Tragédia. Em janeiro de 2011, fortes chuvas e deslizamentos deixaram cerca de 900 mortos e destruíram comunidades inteiras na região serrana do Rio de Janeiro. Apenas em Teresópolis, as enchentes e os desabamentos ocorridos na madrugada de 12 de janeiro do ano passado deixaram 392 mortos confirmados, além de 180 desaparecidos, nas 80 localidades atingidas.

Em janeiro, o Estado mostrou que os governos federal e estadual anunciaram investimentos de R$ 1,1 bilhão para recuperação das cidades atingidas pela chuva na região serrana do Rio após a tragédia, mas menos de um quarto (23,8%) disso tinha sido aplicado um ano depois.

Mais conteúdo sobre:
Teresópolis Região Serrana deslizamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.