Defesa Civil confirma uma morte e mais de 1.200 desalojados no RJ

Duque de Caxias, na Baixada Fluminense; Angra dos Reis e Mangaratiba, na Costa Verde; e Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana foram os municípios mais atingidos

Marcelo Gomes, de O Estado de S. Paulo,

03 Janeiro 2013 | 16h30

RIO DE JANEIRO - As fortes chuvas que caíram no Estado do Rio na madrugada desta quinta-feira, 3, deixaram um morto, três feridos e pelo menos 1.262 pessoas desalojadas, de acordo com balanço divulgado às 16h pela Secretaria estadual de Defesa Civil. As principais cidades atingidas foram Duque de Caxias, na Baixada Fluminense; Angra dos Reis e Mangaratiba, na Costa Verde; e Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana.

Em Duque de Caxias, um homem ainda não identificado morreu no distrito de Xerém. Ele foi encontrado sob os escombros de uma casa que desmoronou na madrugada. Diversas ruas permanecem debaixo d´ água na região, e mil pessoas estão desalojadas. Os rios Saracuruna, Inhomirim e Capivari, que cortam o município, transbordaram. O prefeito Alexandre Cardoso decretou estado de emergência na cidade.

Em Angra dos Reis, pelo menos oito casas foram destruídas e 2 mil pessoas foram evacuadas. No distrito de Mambucaba, um deslizamento de terra deixou três pessoas feridas e outras 172 desalojadas. A cidade está em estado de emergência. De meia-noite às 11h desta quinta, o pluviômetro instalado no centro do município registrou mais de 200 mm de chuva, segundo a Prefeitura. A chuva mais forte ocorreu no lado sul da cidade, alagando várias residências nos bairros de Bracuí e Santa Rita. No réveillon de 2010, dois deslizamentos deixaram 53 mortos em Angra. Um deles ocorreu no Morro da Carioca e outro na Praia do Bananal, na Ilha Grande.

Em Mangaratiba, vizinha à Angra dos Reis, o desabamento de um muro destruiu uma casa no bairro de Constância. Não houve vítimas, segundo a Defesa Civil Estadual. Houve rolamento de pedras na Rodovia Rio-Santos (BR-101) e na Estrada Junqueira.

Já na Região Serrana do Estado, três rios transbordaram. Em Petrópolis, houve transbordamento dos rios Bingen e Piabanha. Houve escorregamentos nos bairros de Independência, Siméria e São Sebastião. Sirenes foram acionadas para que moradores de áreas de risco deixassem suas casas e se dirigissem a pontos de apoio. Dois abrigos foram montados e há, até o momento, 40 desalojados no município.

O mesmo ocorreu na vizinha Teresópolis, onde 50 moradores das comunidades de Vale da Revolta, Perpétuo, Rosário, Caxangá e Pimental estão desalojados. O Rio Paquequer, que corta o município, transbordou.

Em nota, o governo do Estado do Rio informou que o governador Sérgio Cabral (PMDB) se reunirá nesta sexta-feira, 4, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para avaliar a situação provocada pelas chuvas e definir medidas emergenciais. A reunião ocorrerá no Palácio Guabanara, sede do governo do Rio. Cabral determinou nesta quinta-feira a formação de um Gabinete de Crise no Centro Estadual de Gestão de Desastres (Cestad), na sede da Secretaria estadual de Defesa Civil, na Praça da Bandeira, zona norte da capital. No local, será traçado um plano de trabalho conjunto entre a Defesa Civil e as secretarias estaduais de Saúde, Obras, Assistência Social, Educação e Meio Ambiente, além do Departamento de Recursos Minerais (DRM).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.