Defesa Civil nega ter encontrado corpos em cratera

A Assessoria de Imprensa da Defesa Civil de São Paulo negou que tenham sido encontrados quatro corpos nos escombros da cratera do metrô em Pinheiros. Apesar da negativa, Alexandro Ponti, diretor-presidente da Cooperativa de Trabalho dos Profissionais Especializados em Suporte e Apoio às Cooperativas e Empresas de Transporte de Passageiros e Carga em Geral do Estado de São Paulo (Coopsuporte), disse ter obtido informações do comando da Polícia Militar de que as equipes de buscas encontraram, na manhã deste domingo, quatro corpos - motorista, cobrador e dois passageiros . Segundo Ponti, que está no local do acidente, a informação não foi divulgada até agora "para que fosse evitado o assédio da imprensa". Não se sabe o número exato de vítimas do acidente. Os trabalhos de resgate concentram-se na busca de um micrôonibus no qual estavam o motorista Reinaldo Leite, o cobrador Wescley da Silva e - segundo relatos de testemunhas - pelo menos dois passageiros. O caminhoneiro Francisco Sabino Torres, que trabalhava na obra, é outro dos desaparecidos. Entre as possíveis vítimas também estão pessoas desaparecidas que poderiam estar passando pelo local na hora do desabemento: Abigail Rossi de Azevedo, de 74 anos, Marcio Rodrigues Alambert, de 31 e Valéria Alves, 37. Neste domingo, as equipes de resgate chegaram a avistar parte do microônibus, mas um novo deslizamento fez com que o veículo desaparecesse novamente sobre a terra. Os bombeiros também encontraram uma bolsa durante as escavações, mas ainda não informaram qual o seu conteúdo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.