Defesa de italiano preso no CE quer pedir liberdade nesta 6ª

Turista Guliano Turze foi detido após ter sido visto beijando a filha de 8 anos na boca, numa praia de Fortaleza

Ítalo Reis, estadao.com.br

04 de setembro de 2009 | 15h45

A defesa do turista italiano Guliano Tuze, de 40 anos, pretende libertá-lo ainda nesta sexta-feira, 4. "Estou analisando os autos de flagrante e vou fazer o pedido [de relaxamento de prisão] ainda hoje", disse ao estadao.com.br o advogado Flávio Jacinto. De férias em Fortaleza, Tuze foi preso na tarde de quarta-feira por ter beijado a filha de 8 anos na boca.

 

Veja também:

Opinião - A reforma dos crimes sexuais

 

O italiano foi enquadrado na nova lei do estupro - em vigor desde terça-feira - que estabelece como violência sexual toques corporais e até um beijo forçado. Tuze foi levado para o 2.º Distrito Policial. O italiano foi preso em flagrante após testemunhas terem presenciado ele fazendo carícias íntimas e beijando a filha na piscina da barraca Crocobeach, na Praia do Futuro. "Ele está sendo vítimas de um equívoco, uma coisa absurda. As testemunhas não sabiam que era pai e filha", contou o advogado.

 

Segundo Jacinto, a mulher de Tuze, que é brasileira, está revoltada com a prisão. "Eles vivem juntos há 12 anos. Ela estava presente [quando ele foi preso] e não admite isso", explica o advogado, dizendo que na Itália é considerado normal o fato de um pai beijar a filha na boca. Em depoimento o italiano disse que apenas deu um "selinho" na filha. Pelo crime de estupro vulnerável, ele pode pegar de 8 a 15 anos de detenção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.