Defesa de rapaz acusado de encomendar a morte da mãe pede habeas-corpus

A defesa do estudante de Direito Adriano Saddi Lemos, de 23 anos, entraram com pedido de habeas-corpus no Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, nesta segunda-feira, 16. O pedido da liminar é para revogar a prisão temporária dele. Saddi é acusado de ter encomendado o seqüestro e assassinato da mãe, a empresária do setor imobiliário, Marisa Saddi, de 46 anos.O estudante havia confessado o crime em depoimento à polícia no último dia 28 de setembro, mas foi preso apenas em 3 de outubro por causa da lei eleitoral. Orientado por advogados, Adriano Saddi disse, ao se apresentar à policia, que a idéia era seqüestrar e apenas ?dar um susto?.Marisa foi assassinada com cinco tiros no dia 27 de julho. Seu corpo foi encontrado em Vargem Grande Paulista, na Grande São Paulo. De acordo com a polícia, Saddi encomendou a morte da mãe para ficar com a herança da família, estimada em R$ 15 milhões. Ele teria pago R$ 40 mil a dois homens, entre eles o motorista da família, Cristiano Borges Ferreira, de 27 anos. Segundo informações do Tribunal de Justiça, o processo foi encaminhado para o desembargador Marco Nahum e o julgamento da liminar deve ser feito entre a tarde desta terça e quarta-feira, 18.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.