Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Defesa de Suzane recorre ao STJ sobre fita com entrevista

Os advogados de Suzane von Richthofen, ré confessa do assassinato dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen, em 2002, entraram com pedido, junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), para a retirada da fita com a entrevista que a jovem concedeu ao programa Fantástico, da Rede Globo, do processo em que ela é julgada pelo crime, segundo informou o STJ.O mesmo pedido já foi negado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). No STJ, o processo já está com o ministro Nilson Naves, que tomará a decisão final. Foi ele quem concedeu o direito a prisão domiciliar a Suzane, em 26 de maio. O julgamento de Suzane e dos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, réus confessos do assassinato dos pais dela, que começaria ontem, foi adiado pelo Primeiro Tribunal do Júri, para o dia 17 de julho.Caso Naves não conceda a retirada da fita dos autos, os advogados apresentarão três pedidos alternativos: proibir a apresentação da fita durante o julgamento, proibir a veiculação de trechos da fita com a conversa entre os advogados e a acusada ou interromper o julgamento até a decisão final do STJ com relação ao pedido de recolhimento da fita. Gravação Na entrevista, Suzane aparece sendo orientada por seu advogado sobre como se comportar diante das câmeras. A entrevista foi exibida em 9 de abril deste ano. No dia seguinte, foi decretada a prisão preventiva da acusada a pedido do Ministério Público.No processo encaminhado ao STJ, a defesa de Suzane alega que a manutenção da fita, considerada prova ilícita pelos advogados, pode causar prejuízos irreversíveis ao julgamento da ré. Segundo os advogados, "a cena editada e montada tal qual trama de novela, inclusive com fundo musical, dá destaque ao momento em que um dos defensores conversava e orientava Suzane de maneira reservada e pessoal, como, aliás, é um direito garantido por lei".Os advogados também acionaram judicialmente a Rede Globo, pedindo a entrega da fita com a gravação original, sem a edição. Mas, segundo os defensores, a emissora informou não possuir mais a fita.

Agencia Estado,

06 de junho de 2006 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.