Defesa deixa obras definitivas em Cumbica para 2008

As reformas para recuperação definitiva na pista principal do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, serão iniciadas no final de fevereiro do ano que vem, apesar de autoridades da Infraero terem considerado a obra urgente, informou o Ministério da Defesa nesta terça-feira. O presidente da estatal, brigadeiro José Carlos Pereira, disse à CPI da Crise Aérea na Câmara que a reforma é urgente, apesar de ponderar que sua realização poderia "comprometer" o objetivo do governo de transferir 151 vôos do Aeroporto de Congonhas para Cumbica. "Guarulhos com uma pista única vai comprometer todo esse projeto e as coisas não correriam tão bem como estávamos imaginando", afirmou Pereira. Prestes a deixar o cargo, segundo informações do Planalto, o titular da Infraero também defendeu a fiscalização das companhias aéreas em forma de auditoria, não apenas da parte financeira das empresas mas também na área de manutenção de aeronaves e recursos humanos. Também nesta terça-feira, o superintendente de empreendimentos de engenharia da Infraero, Armando Schneider Filho, recomendou uma reforma imediata em uma pista de Guarulhos que tem 20 anos de uso e 3.700 metros de comprimento. Outra pista, que possui 3.000 metros de extensão, foi reformada em 2006. "A pista está remendada. O meu temor é de que na próxima estação chuvosa, (a pista) possa apresentar anomalias, defeitos que possam inviabilizar seu uso". Schneider ressaltou, no entanto, que o local é atualmente seguro para pousos e decolagens. No início da noite, o Ministério da Defesa divulgou nota citando informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de que uma das pistas de Guarulhos necessitava de reparos e anunciando o início de obras definitivas para o final de fevereiro de 2008. Até lá, alguns reparos serão executados no período de menor movimento, entre meia-noite e 6h. Segundo a Defesa, o Aeroporto de Cumbica operará com 54 slots por hora quando tiver as duas pistas operando, número que será reduzido para 33 slots por hora quando apenas uma pista estiver em funcionamento. O ministério informou também que a colocação de ranhuras na pista principal do Aeroporto de Congonhas será finalizada até setembro deste ano. Além disso, a Defesa determinou que a Anac tome todas as medidas pertinentes para que os aeroportos de Guarulhos e Viracopos (em Campinas) recebam vôos transferidos de Congonhas respeitados os limites de capacidade operacional. "ADRENALINA" No mesmo dia dos depoimentos, a comissão de inquérito recebeu os dados e o áudio da caixa-preta do Airbus A320 da TAM, que se chocou contra prédios em frente ao Aeroporto de Congonhas no dia 17 de julho deixando quase 200 mortos. O presidente da Infraero descartou novamente que a pista de Congonhas tenha provocado a tragédia e disse que "não há piloto neste país que pouse em Congonhas sem passar por um pouco de adrenalina". O remanejamento de parte dos vôos de Congonhas para Guarulhos e a construção de uma terceira pista e um terceiro terminal de passageiros em Cumbica são apontados pelo governo como as medidas principais para combater a crise aérea.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.