Defesa do goleiro Bruno entra com pedido de habeas corpus no STJ

Tribunal de Justiça de Minas negou pedido de habeas corpus em abril

Priscila Trindade, Central de Notícias

19 de maio de 2011 | 11h10

SÃO PAULO - A defesa do goleiro Bruno Fernandes impetrou um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O pedido de liberdade foi feito na última sexta-feira pelo advogado Cláudio Dalledone Júnior.

No dia 13 de abril, a Justiça de Minas Gerais negou o pedido de habeas corpus do goleiro, acusado de participar do assassinato de sua ex-namorada Eliza Samudio. Ele está na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Bruno foi condenado em dezembro de 2010 a cumprir 4 anos de prisão por sequestrar Eliza Samudio, em 2009. O jogador teria forçado Eliza a ingerir substâncias abortivas. Ele também responde na Justiça pelo seu desaparecimento e morte. O corpo da jovem ainda não foi localizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.