Defesa pede habeas-corpus em favor dos irmãos Cravinhos

O desembargador Canguçu de Almeida, do Tribunal de Justiça, decidirá amanhã pedido de liminar em habeas-corpus que pede a imediata libertação dos irmãos Cristian e Daniel Cravinhos. Eles mataram a pauladas e por asfixia o casal Manfred e Marisa Richtoffen, em outubro de 2002. Os Cravinhos estiveram presos preventivamente três anos, até serem libertados recentemente por decisão pelo Superior Tribunal de Justiça. A prisão foi decretada novamente pelo juiz-presidente do 1º Tribunal do Júri após uma polêmica entrevista que os irmãos deram à Rádio Jovem Pan, quando revelaram novos detalhes do crime, realizado com a participação da filha do casal, Suzane Richtoffen.O habeas-corpus em favor dos irmãos Cravinhos foi protocolado hoje no Tribunal de Justiça pelos advogados Geraldo e Gisele Jabur. Eles argumentam que não há base legal para a nova decretação da prisão preventiva dos dois irmãos, pois, nesta fase do processo, a competência para apreciar o mérito é unicamente dos sete jurados do 1º Tribunal do Júri, que serão sorteados para julgar os Cravinhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.