Deficiente físico é espancado, atropelado e morto

O deficiente físico Claudomiro da Silva Mendes, de 33 anos, foi espancado dentro de um ônibus, empurrado para fora e, depois de cair noasfalto, atropelado e morto pelo motorista José Mateus Freitas Gomes. Motivo do crime:Mendes não tinha a carteirinha que lhe dava direito à gratuidade no veículo, embora seudefeito físico fosse evidente devido à paralisia infantil contraída por ele quando eracriança.Preso, Gomes alegou que não teve a intenção de matar o rapaz. A polícia vai pedir aprisão preventiva do acusado. Os passageiros ficaram revoltados com a brutalidade deGomes. A cabeleireira Lurdelina Oliveira, uma das testemunhas, disse que Mendes subiu no ônibus da linha Icoaraci-Ver-o-Peso pela porta da frente sem apresentar a carteira de deficiente.Irritado, o motorista Gomes parou o ônibus e se dirigiu até Claudomiro, que estava em pé no corredor. "O motorista disse que nem queria se estressar mais porque já estava aborrecido. Eleempurrou o rapaz, que caiu junto ao capô interno do ônibus. Como se estivesse possuído, puxou o rapaz, bateu muito e jogou-o para fora do ônibus."Mendes ainda tentou dialogar com o motorista. "Ele dizia que não era vagabundo, e que tinha dinheiro para pagar a passagem, mas quando puxou a carteira, o motorista conseguiu jogá-lo para fora e arrancar com o ônibus."Uma das mãos do rapaz ficou presa na porta do ônibus e, na arrancada, ele foiarrastado. Não satisfeito, segundo testemunhas, Gomes deu marcha à ré e arrancou novamente. As rodas passaram sobre o corpo de Mendes. Ele foi sepultado nesta segunda-feira pela manhã. Deixoumulher e duas filhas menores que dependiam de seu trabalho de carpinteiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.