Delegacia fiscaliza comércio na Região Serrana contra abuso nos preços

Segundo denúncias de moradores, alguns locais estariam inflacionando valores de produtos básicos

Agência Brasil, com O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2011 | 14h43

RIO - Quatro equipes de agentes da Delegacia do Consumidor (Decon) seguiram nesta segunda-feira, 17, para Nova Friburgo e Teresópolis, na Região Serrana do Estado, onde vão fazer vistorias nos estabelecimentos comerciais. O titular da delegacia especializada, Carlos Augusto Pinto, explicou que o objetivo é verificar as denúncias de que comerciantes daquelas regiões estariam cobrando preços abusivos.

 

"O nosso objetivo principal é a prevenção. Vamos primeiramente agir de forma preventiva para evitar que comerciantes se aproveitem da desgraça da população dessas regiões. Caso constatemos abuso, eles serão autuados", afirmou.

 

No domingo, o comandante-geral da Polícia Militar do Rio, coronel Mário Sérgio, afirmou que todos os comerciantes flagrados cobrando preços abusivos por alimentos, água e velas nos municípios afetados pelas chuvas seriam presos. Os crimes contra o consumidor preveem penas de dois a cinco anos de prisão, sem fiança. Até o fim da manhã, não havia informação de prisões.

 

De acordo com alguns moradores de Nova Friburgo, uma das áreas mais devastadas da região serrana, galões d'água, cujos preços não ultrapassavam R$ 6, estão sendo vendidos por até R$ 40. Uma caixa de leite passou a custar R$ 10, quatro vezes mais que o valor original

 

Nos últimos dias, a PM começou a receber denúncias de "abuso de poder econômico" na venda de mantimentos, principalmente em Teresópolis e Nova Friburgo, e decidiu tratar o caso como prioridade. Ontem, supermercados e mercearias abriram as portas normalmente, sem escassez de produtos essenciais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.